quarta-feira, 15 de março de 2017

Novamente meus pensamentos, até os uma vez estagnados,
estão revirados , mexidos-tipo-ovos-mexidos,
desdobrados com cuidado de papel manteiga amassado,
(o número dela dentro)
um descuido somado á frenesi nas mãos.
Se houvesse uma porta para compreensão,
e que se abrisse facilmente sem emperrar,
o destemido ser adentrante,
me perderia em meio ao lugar
de tantos sentimentos coloridos,
e destoantes um dos outros,
jogados de fora a fora, tipo serpentinas entrelaçadas,
eu encolhida num canto dessa pseudo sala em fim da festa.
Se ele aproxima e escuta minha risada ébria,
é porque já me é conhecida essa
ressaca sentimental-pensante,
de outros carnavais fora de época.
Quase sempre amanheço rindo sozinha
pro caos.
Em outras encostada em seus ombros.
Mas sempre amanheço acompanhada,
desse amigo invisível que me ronda.

(Enxergo em cor de estrela cintilante)

Nenhum comentário:

Postar um comentário